quarta-feira, 30 de maio de 2012

Resenha: Estilhaça-me - Tahereh Mafi

Em seu romance de estréia, Tahereh Mafi aposta no irresistível combo poderes sobrenaturais + triângulo amoroso + disputas entre sobreviventes de um planeta devastado. Somando-se a isso uma capa maravilhosa e a busca frenética dos estúdios de Hollywood pela próxima saga adolescente do momento, temos aí um novo Best Seller. Estilhaça-me segue a receita padrão para conquistar uma legião de fãs.
Se eu estou entre eles? Sinceramente não sei.

O livro traz a saga de Juliette, uma adolescente que exerce medo e fascínio por conta de seus poderes misteriosos. Poderes que até então só infligiram sofrimento e causaram morte. Por conta deles, seus pais a internaram num manicômio e cortaram qualquer tipo de relação, transformando Juliette em uma pária. Após tanto tempo encarcerada e abandonada à própria sorte, Juliette vive de lembranças dolorosas, rotina sofrida e solitária, questionando sua própria sanidade mental.

Nesse meio tempo o mundo vive outra realidade, as paisagens não são mais as mesmas e as pessoas vivem acuadas. O Restabelecimento criou um novo presente para os humanos, segundo eles, na busca por um futuro melhor.  Juliette não imagina quantas mudanças ocorreram nesses 264 dias de clausura. Até a chegada de Adam, seu novo companheiro de cela. Será que ele é louco ou incompreendido como ela? Qual deles dois é perigoso? Quem é a verdadeira ameaça? Juliette não sabe mais como interagir com outro ser humano. O medo e a desconfiança a perseguem. Ao mesmo tempo é bom ter companhia. Ela reconhece Adam de tempos passados. Ele tenta fazer contato, tocá-la. Mas aí o Restabelecimento se apresenta na figura de Warner. Outra ameaça ou salvação? Juliette tenta se manter sã enquanto mergulha no mundo da dúvida e contradição.

A trama de Estilhaça-me prometia muito. Mas o que dizer de um texto com toques de poesia desmedida, cheio de descrições exageradas de sensações, reações do corpo, sentimentos e pensamentos? O que pensar de uma protagonista que fala tudo três vezes o tempo todo repetindo repetindo repetindo?

É isso que a autora nos entrega: uma obra com excessos de estilismos e recursos literários que não conseguem disfarçar a superficialidade da estória! Tinha tudo pra ser incrível, mas ficou na zona de conforto.  A minha impressão foi que na tentativa de apresentar uma protagonista repleta de conflitos internos, beirando a tênue barreira da insanidade, Mafi usou e abusou de arroubos poéticos num momento Pedro Bial em final de BBB, repetições de palavras sem uso da vírgula tipo assim tipo assim tipo assim e pra fechar com chave de ouro as famosas frases tachadas, que podem até ser engraçadinhas se utilizadas com moderação. Não foi o caso.

A principio tentei desculpar o talento de Juliette para descrever cada segundo de suspiro de sua vida por realmente considerar que o “toque” seria o verdadeiro personagem principal na estória, uma vez que estamos falando da angústia de viver sem poder tocar ou ser tocada. Mas toda a minha teoria cai por terra quando começo a notar que a autora enfeitou, enfeitou, mas não conseguiu sair do básico mocinha-linda-se-apaixona-por-dois-caras-totalmente-gatos-mas-com-personalidades-opostas. Faltou maturidade para apresentar esse conflito de forma mais interessante. Faltou também convencer nesse triangulo amoroso. Faltou carisma aos moços. Faltou ainda saber terminar cenas de ação tão legais. E, principalmente, faltou sedimentar esse enredo. O que parecia ser uma distopia acabou “dando topada” em outra coisa e se transformando em X-Men.


Aí você me pergunta: “O livro é tão ruim assim?”
Bom, vou dar uma de Juliette agora...  Por incrível que pareça estou com sentimentos extremamente contraditórios em relação a esta leitura... Afinal, sempre que me proponho a ler um livro Young Adult, tento ir completamente desarmada e livre de julgamentos, uma vez que não sou propriamente o publico alvo do autor. E embora minha resenha ressalte os pontos negativos da estória em minha opinião, não achei o livro ruim. Apenas superestimado! Até me diverti bastante com ele... Diria inclusive, que os personagens me surpreenderam em alguns momentos... Nada de adolescentes-virgens-para-sempre por aqui! E realmente acredito que a autora pode dar uma reviravolta na continuação, repensar essa “escrita de efeito” e assumir de uma vez que seu livro é focado no triângulo amoroso e pronto. A única intensidade desse romance está nesse aspecto. Os outros fatores são rasos e não passam de background. Tanto que acho completamente equivocado citar a obra como uma distopia. Isso cria uma expectativa que o livro não consegue atender. Quanto ao excesso de estilismo, posso afirmar que não me agrada, mas tenho certeza que muita gente vai gostar.  Acredito com sinceridade que Estilhaça-me é para ler despretensiosamente. É pra escolher um dos pretendentes de Juliette e torcer até o final. Nada mais que isso! Pra quem gosta desse tipo de leitura eu super indico.

4 comentários:

cristiane disse...

Nossa, falou....caramba. Nem sei o que dizer. Li esse livro recentemente. Eu gostei no aspecto do todo, porque não senti graça alguma até as ultimas 100 paginas. Sério, e beira a X-men mesmo. Senti muito isso naquele final lá que....bem, você sabe. Fiquei pensando no desenho que eu via xD lol E é verdade que o texto corrido, tachado e cheio de repetições e faltas de virgulas é meio estranho mesmo. Deu uma impressão de correria, que se você parar para pensar deixa a história frenética demais ao ponto de te deixar louco pra parar de ler um pouco, tomar um ar e um golão de água e só depois voltar. Foi o que senti =/
Enfim, no todo é um livro bom e achei que foi como...um preparatório para os outros, uma introdução sabe? Espero que os outros sejam diferentes...

Paulinha disse...

Cris eu também espero! Vou ler a continuação mesmo tendo ficado meio escabriada com esse primeiro. E vc tem razão qto a leitura que não consegue ser contínua! Esse tipo de artifício que ela usou costuma cansar... E os trechos de "poesia de previsão do tempo" são extremamente enjoados...Aí o copão de água cai perfeitamente! Mas tirando as observações que fiz, no geral eu tb gostei. Dá pra entender??? kkkkkkk Na verdade fiquei triste pq poderia ser tão melhor, mas ela não arriscou. Ficou estacionada na questão do romance...

Michele B. disse...

oi,
estou super curiosa para ler esse livro e vê o que eu acho,
tem muitas pessoas que gostaram , mas tem muitas outras que não se empolgaram.
adorei seu blog, muito lindo!
estou te seguindo, segue o meu tambem
http://lostgirlygirl.blogspot.com.br/

bjos

@Gui_Stns disse...

Já peguei um exemplar pra mim e vou ler aqui o exemplar, porém vou com menos sede ao pote por não ser tudo aquilo!

Postar um comentário