quinta-feira, 15 de março de 2012

Assistindo Livros: A Mulher de Preto

Você acredita em fantasmas? Parece uma pergunta boba com uma resposta óbvia. Mas é bom ter isso em mente antes de se aventurar pelo cinema, pois pode tomar muitos sustos com A Mulher de Preto.

O livro homônimo de Susan Hill adaptado para a telona sob a direção de James Watkins, de início chama atenção por que seu protagonista é interpretado por ninguém mais, ninguém menos que Daniel Radcliffe. E logo de cara posso adiantar que a imagem de Harry Potter ficou para trás, no momento em que Daniel assumiu a pele do advogado Arthur Kipps. Não vou mentir dizendo que não há momentos em que a gente deseja: “dá logo um Avada Kedavra nessa mulher!” Mas não por causa do ator e sim por conta das situações e o suspense, que é enlouquecedor certas horas.  

Arthur Kipps é um jovem advogado que atravessa um momento difícil pessoal e profissionalmente. Pessoal porque ao tornar-se pai, perdeu a esposa e seguiu adiante criando seu filho com ajuda de uma governanta, e, mesmo o amando muito, no fundo não consegue superar totalmente a morte da mulher. Profissional porque durante esses quatro anos, o luto e a nova rotina parecem ter atrapalhado seu desempenho no trabalho, chegando o momento em que seu chefe lhe dá um ultimato: precisa deixar Londres por alguns dias em busca de documentos pendentes para completar o processo de venda da mansão mais antiga do povoado Crythin Gifford, cuja dona tinha falecido. Sem escolha, Arthur deixa seu filho em Londres, prometendo reencontrá-lo no final de semana, e parte para o povoado em busca de todos os documentos, que provavelmente estariam perdidos entre pilhas e pilhas de papéis no interior da velha casa. 
Assim que chega a cidade, Arthur começa a perceber comportamentos estranhos, medo, tristeza e muitos segredos envolvendo a população e a misteriosa mansão. E é nesse clima sombrio, repleto de mistérios e quase sem nenhum apoio que ele pretende concluir sua missão.
Pessoalmente, preciso ressaltar que Arthur é um homem muito corajoso, pois a mansão em questão, além de apavorante, fica praticamente em uma ilha, cuja única estrada aparece e desaparece conforme a maré (por muito menos eu já tinha dado meia volta e começado a procurar um novo emprego nos classificados). Visivelmente impressionado com toda a superstição presente no povoado e a própria dúvida quanto a existência de um mundo espiritual capaz de cruzar a fronteira, uma vez que costuma sentir a presença da falecida esposa, Arthur se descobre vendo e acreditando na presença de uma mulher vestida de preto aterrorizando a propriedade.

Como não pretendo soltar spoilers aqui e acabar com a “graça” do filme, o que posso adiantar é que a trama é bem interessante, os diálogos são poucos, o que significa que as explicações chegam de maneiras não muito convencionais. A direção garante bons sustos e cenas angustiantes, repletas de tensão e foco em detalhes. O filme é típico terror no estilo “O Orfanato” e “Rose Red”. Ou seja, suspense e cenas apavorantes com um toque de drama. Tudo muito bem dosado. Não existem momentos leves aqui. Os personagens são sofridos, carregados, quase nunca sorriem e vale destacar as atuações da atriz Janet McTeer e o ator irlandês Ciarán Hinds, como o casal Daily que tem uma participação interessante na trama. E, para quem, assim como eu, tem pavor de bonecas, palhaços e brinquedos que fazem barulho ou tocam musiquinhas de ninar (eu acho até a abertura de The Secret Circle Freak), taí um prato cheio para não dormir por uma semana. Recomendo!

10 comentários:

Taynah disse...

Arthur Kipps não, Harry Potter! hehehehe Espero que nesse filme o Daniel consiga se desligar, de fato, do bruxo que deu tanto destaque a ele. Confesso que ultimamente tenho me sentido atraída por filmes de suspense/terror, mesmo sendo extremamente medrosa (até roupa pendurada no cabide me dá susto!). Só achei meio estranho - provavelmente por associar o ator a Harry Potter, que era bem jovem (mesmo no final do 7º filme, casado e com filhos) - ele parecer tão jovem e já ser pai na história. Enfim, esse definitivamente é um filme pra se ver no cinema, porque vê-lo sozinha, em casa, não vai rolar. NEVER! UHAhuahuAUH

P.S.: Gargalhei aqui no trabalho com o "dá logo um Avada Kedavra nessa mulher!".

Ka Alencar disse...

Vou te confessar que nem tava tão afim assim de ver o filme... Mas o teu Avada Kedavra ali me ganhou. rsrsrs
Porque né? pra usar um feitiço desses tem que ser em situações muito sérias.
Agora fiquei com vontade de ver! rs
beijão

@K_Alencar
http://achoquecresci.blogspot.com

Cássia Santos disse...

Não sou muito fã de filmes de terror, prefiro dormir tranquila, mas talvez eu veja se alguém for comigo... E tem o Daniel Radcliffe fazendo papel de pai! Parece bem interessante. Beijos *-*

Lais Yumi disse...

Quero ver esse filme! Não tenho tanta vontade assim porque não curto muito filmes de terror, mas o Daniel me fez querer! xD
Também quero ler o livro depois de assistir o filme..

Beijos

Fernanda Souza disse...

'Dá logo um Avada Kedavra' morri kkkkkkkkk
Bom saber que o Dan consegui se livrar do Harry durante o filme, seria tenso ele ficar com a imagem de outro personagem impregnado nele.
Tenho vontade de ter (não ler, que fique claro rs). Não sou chegada nesse tipo de suspense com fantasma não, ia sonhar direto rs
Adorei a resenha, eu não sei resenhar um filme sem spoiler eu acho rsrsrs
Beijos
Leitora Incomum

danamartins disse...

Sério que você gostou? :o Meu amigo tava cheio de vontade, foi correndo e achou bem fraco. '-' Eu não posso dizer, porque eu não vou passar nem perto desse filme. HAUHA
Ele também disse que lembrava muito a HP. que coisa o.õ

Jéssica Cardoso disse...

O Daniel ainda não se desligou do Harry na minha opinião. Quem saiba em trabalhos futuros, né? O problema desse filme é o roteiro: é muito clichê para algo tão esperado. A única coisa que realmente gostei foi a fotografia :3

Luana disse...

Eu tenho muito medo de assistir esse filme e me decepcionar, afinal o Daniel vai sempre ser Harry Potter e imaginar ele como Arthur, não rola não, se bem que ele está o maior gato nesse filme.

beijos, Lu

marla disse...

Ainda não assistir esse filme, mais ele chamou minha atenção, gostei também do novo visual de Daniel Radcliffe.
Gostei da sua resenha, ela despertou a minha curiosidade.
*bye*

Louca por Romances

Cida disse...

Paulinha, primeiro, você foi muito fofa em não colocar spoilers aqui, eu até tinha comentado com vc no twitter que estava esperando meu livro chegar, para depois ver o filme. e não poderia ler este post.
Seus comentários são hilários, esse de procurar emprego nos classificados,só você mesmo.
Olha vc me deixou com mais vontade de assistir o filme do que antes,parece ser arrepiante. Preciso ler logo meu livro e correr para assistir.

E outra coisa, concordo com vc em relação a abertura de The Secret Circle.

Bjs

Postar um comentário