domingo, 4 de março de 2012

Talentos Nacionais: Liana Zecca

Hoje quero apresentar a vocês a nova coluna do Me, My Shelf And My Books: Talentos Nacionais. Como o próprio nome diz, esse é o espaço para conhecermos um pouco mais sobre os muitos escritores talentosos que temos em nosso país, debatermos e divulgarmos suas obras. Afinal, vamos ser bem sinceros: muitos de nós “engole” qualquer  estorinha meia-boca de autores internacionais, mas quando alguém diz “o livro é de um Brasileiro” a tendência de muitos é torcer o nariz disfarçadamente... É, dói ter que dizer isso em alto e bom som, mas infelizmente acontece... Não que eu queira causar uma revolução ou levantar polêmica aqui, muito menos criar um ringue entre autores nacionais x internacionais. Cada um tem seu valor! Mas acredito que a informação é o que nos impulsiona a abrir mãos de preconceitos, por isso quero fazer a minha parte! Colaborar para a divulgação do trabalho dos NOSSOS talentos. Afnal, santo de casa faz milagre sim!

Para inaugurar essa coluna eu escolhi a escritora Liana Zecca, autora do romance Os Guardiões publicado pela Editora Livros Ilimitados, sob o selo Metaphora.
Liana vem de uma família de reconhecidos escritores na Itália, contudo só há pouco tempo descobriu que sua paixão pela leitura agregaria a sua vida também o amor pela escrita. Conheci a autora pelo Twitter e fiquei super feliz quando ela me deu a oportunidade de conhecer seu romance de estreia, que confesso, me surpreendeu bastante. Uma estória diferente, que foge aos padrões em voga no mercado atual, mas que está me cativando a cada página. Em breve vou compartilhar essa experiência com vocês em minhas resenhas, mas hoje quero que vocês conheçam um pouco mais sobre Liana Zeca em entrevista ao Me, My Shelf And My Books.



Liana conta pra gente como foi o inicio de sua carreira, o momento em que você se descobriu escritora.
No final de 2007 comecei a escrever poesias na língua italiana e publicava em um site também italiano, e percebi pelos comentários que recebia que muitos gostavam da minha forma de escrever. Em janeiro de 2010 fui para a Austrália visitar minha filha que lá morava e, como gosto muito de fazer caminhadas e trilhas, saía para passear e foi nestas caminhadas que surgiu a ideia de escrever um livro.
Existiu a influência de alguma personalidade do mundo literário ou artística em sua escrita?
Sou leitora voraz desde os treze anos de idade e acho que todos os grandes escritores me influenciaram.
Houve algum fato ou algum momento especial dentro dessa experiência na área literária que te marcou ou incentivou?
Bom como contei lá em cima foi minha viagem para a Austrália, na época eu lia Crepúsculo e achei a forma como Stephenie Meyer escreve muito fácil, então pensei que talvez eu também conseguisse.
Quem são seus grandes ídolos na literatura?
Agatha Christie, Sidney Sheldon, James Patterson, Hermann Hesse, Richard Bach e tantos outros.
Como foi que Adélia surgiu na sua vida? Qual a sua relação com esse personagem?
Acredito existam muitas Adélias por aí solteiras ou descasadas, aposentadas que sonham em partir do lugar em que vivem e descobrirem do que são capazes de fazer a mais na vida. Dela eu tenho essa vontade de conhecer mais pessoas, lugares e novas culturas.
Por que ambientar seu romance em outro país? Existe alguma relação especial com o Peru ou foi só uma questão de contexto?
Sou apaixonada por arqueologia, história de civilizações antigas e também natureza, e o Peru reúne tudo isso.
Depois de escrever Os Guardiões, como ficou a vida longe da escrivaninha? Nesse hiato entre uma obra e outra não dá saudade da rotina de escrever, dos personagens? Não fica difícil abandonar o mundo criado na sua cabeça?
Dá saudades sim e por alguns meses eu só pensava em Os Guardiões, cheia de muita ansiedade na expectativa de as pessoas lerem e gostarem do meu livro. Sempre participando de eventos de lançamento e até cursos para cada vez mais melhorar a minha escrita. Depois disso escrevi um conto e depois outro e ao final foram sete pequenas histórias e iniciei o Borboleta, meu próximo projeto, fiquei bem ocupada e esqueci um pouco meu primeiro livro.  
Qual a maior dificuldade que um escritor no Brasil enfrenta hoje em dia em sua opinião? E de onde vem o maior apoio e incentivo?
Os Guardiões ficou totalmente pronto no dia 23 de Dezembro de 2010 e em maio de 2011 eu já tinha conseguido alguém que o quisesse publicar, mas sei que tive muita sorte, pois a maioria dos escritores têm que pagar para serem publicados o que não foi meu caso e o maior incentivo vem dos leitores que leram e gostaram do meu livro.
Depois de sua experiência com Os Guardiões, qual sua relação com o leitor? Você costuma ouvir o que eles procuram em um livro ou que linha literária é mais atrativa ou simplesmente escreve o que gosta e aguarda o resultado?
Eu ainda não tenho esse contato direto com os leitores, para isso precisaria participar de uma bienal e ter um blog, estou realmente pensando em fazer um, mas acredito que não conseguiria escrever somente para atender o que eles querem, eu escrevo coisas que gosto colocando sempre a natureza e os animais na história e a importância de se respeitar a eles.
Você segue alguma rotina para escrever? Como fica o dia a dia quando se está escrevendo um livro?
Procuro sempre escrever alguma coisa todos os dias seja uma poesia, uma ideia para uma nova história ou mesmo um capítulo do meu novo livro, mas só consigo escrever mesmo se estou só, se tem alguém em casa não consigo me concentrar.
Você já mencionou um novo projeto, pode nos contar seus planos futuros?
Tenho um novo livro pronto, mas ainda não publicado de contos infanto-juvenil que também pode ser lido por adultos. E meu segundo romance Borboleta que acredito até o meio do ano eu o finalize.
Deixe um recado para os leitores do blog.
Que continuem lendo e principalmente aos escritores nacionais e àqueles que leram Os Guardiões e gostaram, agradeço de coração.

Sinopse: Adélia é uma mulher que sente um grande vazio, ao fazer um balanço de sua vida. Tem um sentimento de inadequação por acreditar que as pessoas vêm ao mundo para cumprir uma missão e algo dentro de si lhe diz que ainda não encontrou o seu verdadeiro destino. Meio século de uma vida que não a deixava muito feliz: considerava-se uma pessoa errante em quase todas as escolhas que fizera − de amigos a amores. E para piorar, ainda era vítima de pesadelos recorrentes, que nunca se completavam. De repente, num chamado insólito e irresistível, decide fazer uma viagem ao Peru e, de lá, arrumar um bom guia que possa levá-la até o Equador, baseando-se num roteiro improvável, traçado por ela mesma, em que terá de passar pelo meio de montanhas e florestas, numa viagem que não sabe ao certo quando terminará e quais perigos terá de enfrentar.   

E para os leitores do Me, My Shelf And My Books a autora mandou um exemplar de Os Guardiões + marcadores autografados. Se vocês se comportarem direitinho comentando neste post, amanhã eu lanço a promo, viu!

9 comentários:

Lilian Sinfronio disse...

Já li maravilhas sobre esse livro e gostei da escrita da autora até nas resposta rápidas =)

É tão bom saber mais sobre a rotina de trabalho dos escritores, parabéns pela resenha. E, claro, parabéns a autora pelo trabalho que tem sido tão admirado.

Gostei do novo título, Borboleta, vamos esperar ^^

Espero pelas proximas entrevistas.
Bjs

Raphaela disse...

Paulinha,

parabens pela iniciativa, temos autores nacionais tão maravilhosos quanto os gringos e, atraves das redes sociais principalmente, eles estão conseguindo ganhar mais espaço. Espaço devidamente merecido.

Eu não conhecia o livro da autora, mas desejo todo sucesso pra ela.

Beijokas! :*

Raphaela
Equalize da Leitura { http://equalizedaleitura.blogspot.com/ }
@EqualizeLeitura

Vanilda disse...

Acho bacana essa ideia. Quanto mais espaço, nas mais diversas mídias, os autores nacionais tiverem, maior a divulgação do trabalho deles e isso é essencial. Ainda não conhecia a autora e o trabalho dela, mas espero que o sucesso seja grande.

AndreLuizVsa disse...

Oi, que legal"""
Eu não conhecia esse livro, nem a autora, mas gostei muito!
Legal ela gostar de James Patterson!!

André Luiz
www.viajandonoslivros.com

Kel Costa disse...

O local onde se passa a história, é no mínimo, muito original. A sinopse eu confesso que não me atraiu muito, mas vou aguardar algumas resenhas para ver qual é. Gostei mesmo da autora ter usado países que fogem à regra atualmente, com tudo que é história sendo ambientada sempre nos Estados Unidos...

Bjs,
Kel
www.itcultura.com

Cida disse...

A cada dia que passa nossos escritores estão melhores, e temos que apoiar esses talentos. Paulinha ótima iniciativa. Bjs.

Cida disse...

A proposito amo Agatha Christie, Sidney Sheldon, grandes influências.

Paulinha disse...

Kel, realmente a sinopse não faz jus ao livro, ela é bem maior que isso mas não coloquei toda pq acho que revela demais... Mas posso garantir que tô grudada nas páginas. É uma história de amor linda e madura... sem draminhas de mocinhas indecisas...

☮ Rajhanah ♎ disse...

gostei muito da entrevista, muito legal esse espaço para os autores nacionais. Aqui também se faz bons livros. =]

Postar um comentário