terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Resenha: Destino - Ally Condie

Título Original: Matched
Editora: Suma de Letras
ISBN: 9788560280810
Autora: Ally Condie
Páginas: 240
Tradutor: Lívia de Almeida

Sinopse: Cassia tem absoluta confiança nas escolhas da Sociedade. Ter o destino definido pelo sistema é um preço pequeno a se pagar por uma vida tranquila e saudável, um emprego seguro e a certeza da escolha do companheiro perfeito para se formar uma família. Ela acaba de completar 17 anos e seu grande dia chegou: o Banquete do Par, o jantar oficial no qual será anunciado o nome de seu companheiro. Quando surge numa tela o rosto de seu amigo mais querido, Xander – bonito, inteligente, atencioso, íntimo dela há tantos anos –, tudo parece bom demais para ser verdade. Quando a tela se apaga, volta a se acender por um instante, revelando um outro rosto, e se apaga de novo, o mundo de certezas absolutas que ela conhecia parece se desfazer debaixo de seus pés. Agora, Cassia vê a Sociedade com novos olhos e é tomada por um inédito desejo de escolher. Escolher entre Xander e o sensível Ky, entre a segurança e o risco, entre a perfeição e a paixão. Entre a ordem estabelecida e a promessa de um novo mundo.

O que você não daria para viver em um mundo perfeito? Um mundo onde não existe estresse, câncer, Alzheimer, obesidade... onde todos têm uma rotina saudável, segurança, um lar decente, boas escolas e oportunidades de trabalho para todos... Quem não sonharia com uma vida assim? Vou responder: qualquer pessoa que leia este livro!
Ally Condie nos apresenta um novo mundo nessa série. Um mundo governado pelo que chamam de “Sociedade”. A Sociedade é como se fosse uma espécie de órgão governamental onipresente e oniciente. Eles oferecem qualidade de vida aos que restaram, depois que o homem quase destruiu o planeta. É a Sociedade que garante sua casa, sua escola, seu trabalho, sua alimentação. Em troca ela controla tudo: o que você come, o que veste, onde mora, o que faz no seu dia-a-dia e em que horários, quando você vai conhecer a pessoa com quem se casará, escolhe o melhor par para você, quantos filhos terão e até o dia da sua morte. Na minha opinião um preço beeeeem alto por uma vida de “qualidade” mas sem liberdade.
A estória gira em torno da adolescente Cássia, que assim como todo mundo acredita que a Sociedade é infalível e que age da melhor maneira para garantir uma vida decente para todos. Quer dizer, até o dia em que ela vai conhecer seu “par perfeito” junto com seu melhor amigo Xander e, no banquete do par os dois descobrem que a sociedade determinou que eles dois foram “feitos um para o outro”, que são a melhor combinação possível entre dois humanos. É assim que funciona: classificações, dados, estatísticas. O sistema de pares garante a melhoria genética e com isso a erradicação de doenças. Tudo é matematicamente determinado. Não existem coincidências, apenas probabilidades! Mas tudo isso vem abaixo quando Cassia, que já estava mais do que feliz em se casar com seu amigo de infância ao invés de um desconhecido qualquer que talvez ela nem achasse bonito, foi saber um pouco mais sobre seu pretendente no microcartão entregue a eles (sim, é totalmente informatizado o romance). O tal microcartão mostrou o rosto de Xander e em seguida, uma falha e outro rosto aparece: Ky. Vizinho e colega de escola dos dois. 



Aí começa uma trama emocionante que deixa o leitor o tempo inteiro curioso e desconfiado. Foi uma falha? Foi uma farsa? Vão corrigir? Vão assumir o erro? O que será do destino desses três jovens? Cassia segue o curso da vida sem saber em quem confiar, a quem contar, sem querer magoar Xander e com  a curiosidade uma vez despertada, se pega criando sentimentos pelo misterioso Ky. Tudo vira um grande questionamento para ela, uma vez que a Sociedade sendo tão perfeita, cometeu um tipo de erro como esse, quem pode garantir que os pais dela foram feitos um para o outro? Será que são felizes? O que escondem? Aliás, o tempo todo parece que há uma névoa de segredo envolvendo os personagens e isso nos faz grudar os olhos em cada parágrafo do livro.
Mas não pensem que o livro inteiro é uma dramática decisão de uma garota boba divida entre dois caras. Não, o romance serve como pano de fundo para uma crítica muito interessante aos nossos dias atuais, cobertos de excessos. O consumismo, o desperdício, a má administração do tempo, a futilidade sendo mais importante que a saúde, desleixo com amizades e família, a subestimação do amor, a pouca importância que alguns dão ao acesso ao conhecimento e cultura, oportunidades não aproveitadas, a não valorização da liberdade, o poder da escolha. O livro mostra um mundo que seria meio que um “castigo ideal” para que todos nós pudéssemos rever nossos conceitos.
Só de imaginar uma vida onde o grande acesso à cultura são 100 músicas, 100 poesias, 100 obras de arte selecionadas pela Sociedade, onde você tem que obrigatoriamente andar com 3 comprimidos com você o tempo todo (um azul para suprir necessidades quando passam muito tempo sem se alimentar, um verde que é um calmante e um vermelho que ninguém sabe pra que serve e só pode ser tomado quando a Sociedade manda), onde suas atividades de lazer e entretenimento são escolhidas para você e que você não pode saber mais do que aquilo que lhe é determinado, eu não vejo outra coisa a não ser uma espécie de ditadura que cria marionetes incapazes de olhar para os lados e que nunca conquistarão independência.
É isso que Destino mostra através dos olhos de Cassia. Que o mundo de antes tinha muitos defeitos e que o mundo criado pela Sociedade é uma tentativa de correção de nossas falhas. Faz com que os personagens questionem o que é realmente um mundo melhor: seguir regras e ter uma felicidade esperada ou ter a chance de arriscar no desconhecido e ver no que vai dar? Ao mesmo tempo tudo indica que perfeição não existe. Em nenhum mundo.
Ah! Antes que você me pergunte: Xander ou Ky? Já vou adiantando que é difícil escolher pois os dois são incríveis. Só podemos torcer por Cassia, para que ela saiba que caminho seguir, por que eu mesma tô completamente indecisa e acho que muita água ainda vai rolar nesse rio...
Se você tá afim de fugir um pouco dos romances comuns, eu super indico essa série. Mundo pós apocalíptico misturado com ficção científica rendeu um futuro narrado de forma interessante e bem argumentada. Já tá na minha estante e espero ansiosamente o lançamento no Brasil da continuação: Crossed.
Boa Leitura! 

2 comentários:

Gleice Couto disse...

AMOOOOOO esse livro. Um dos melhores que li em 2011.

Sou Team Ky com certeza! ;)

Boa resenha, parabéns!

Beijos!

Gleice
@MPessoais
www.murmuriospessoais.com

My Favorite Book disse...

Tenho muita vontade de ler esse livro... A estória parece ser tão bacana, mas no momento estou sem dinheiro, andei comprando outros livros e esse vai ter que esperar mais um pouco...

Brunna Carolinne - My Favorite Book
http://myfavoritebook-mfb.blogspot.com.br/

Postar um comentário