domingo, 26 de fevereiro de 2012

Resenha: Queria Que Você Estivesse Aqui - Francesc Miralles

Se tem uma coisa que eu adoro fazer é passear em livraria... Sentir o cheiro de todos aqueles livros não lidos... Sair passando a ponta dos dedos nas capas... Fuçar todas as prateleiras... Mas, para mim nada se compara àquela sensação que dá quando você olha a capa de um livro e tem a impressão que era exatamente isso que você estava procurando! Isso acontece muito comigo. Aí eu o encaro e peço silenciosamente: “por favor não seja só uma capa bonita e me dê motivos pra te levar pra casa...”! Acreditem, às vezes funciona. Queria Que Você Estivesse Aqui foi um desses casos. Uma capa com a Torre Eiffel e um envelope diz muita coisa quando você procura uma leitura que fuja um pouco às tendências atuais. E como se o livro respondesse ao meu pedido, me deu três grandes motivos: uma sinopse cheia de mistério e expectativa; um autor super elogiado em seu trabalho anterior e, logo nas primeiras páginas, um trecho de uma das minhas músicas favoritas: Wish You Were Here do Pink Floyd! Precisa mais???
Título Original: Ojalá Estuvieras Aquí
Editora: Record
ISBN: 9788501086563
Autor: Francesc Miralles
Tradutor: Luis Carlos Cabral

SKOOB
Sinopse: No dia em que completa 30 anos, Daniel, um prestigiado arquiteto barcelonês, é abandonado pela namorada. Em pleno naufrágio pessoal, escuta o disco da cantora Eva Winter, que ganhou de presente da única amiga que manteve desde a faculdade. Para sua surpresa, as músicas parecem falar de sua própria biografia. Intrigado, Daniel toma uma decisão insólita: sem avisar ninguém, muda-se para Paris em busca da cantora misteriosa. Lá, muitas surpresas o esperam... e, talvez, o amor de sua vida.

"Queria que você estivesse aqui. Somos apenas duas almas perdidas nadando em um aquário, ano após ano fazendo a mesma velha rota. O que encontramos? Nossos medos de sempre. Queria que você estivesse aqui." (PINK FLOYD, Wish You Were Here)
No livro, o protagonista Daniel, um arquiteto bem sucedido em plena crise dos 30 anos, nos conta como, de repente sua vida extremamente organizada virou de pernas pro ar por conta de uma sequência de acontecimentos que deu-se início ao receber o primeiro “Parabéns!”.  Sua noiva Desirée termina com ele durante o aniversário, faltando apenas três meses para o casamento; Descobre ainda na festa que ela já estava tendo um caso com Bosco, um dos convidados e amigo do casal; E resolve afogar as mágoas ouvindo um CD de uma cantora desconhecida que ganhou de presente de sua única amiga dos tempos de faculdade. O que Daniel não contava era que aquelas músicas o resgatariam de todo aquele drama e jogariam em um grande mistério, pois desde a primeira faixa, ele ouviu experiências vividas por ele na infância e adolescência, narradas nas letras de Eva Winter. Coincidência? Achou que seria muita presunção de sua parte acreditar que esses acontecimentos, que pareciam tão particulares, não seriam coisas banais, vividas por tanta gente. Mas a cada música, o que parecia coincidência começa a se transformar em algo, no mínimo, intrigante... Era como se tudo fosse sobre ele. Sua vida em ordem cronológica. Como era possível essa tal Eva Winter, uma cantora de quem nunca ouvira falar, tivesse vivido situações tão semelhantes? Até a última faixa falava sobre um arquiteto que após levar um fora da noiva, foi a Paris ao encontro de uma cantora... E é aí que começa a grande aventura de Daniel, que num rompante resolve se desligar de tudo e todos e segue para a Cidade Luz a fim de descobrir mais sobre Eva Winter.

"Exatamente por que sabia que era absurdo, achava divertido elaborar no sofá da sala o roteiro do PLANO IMPOSSÍVEL, uma coisa muito mais ambiciosa do que uma viagem pontual para assistir a um concerto. Perguntava-me como seria abandonar tudo sem data para voltar, me instalar em um apartamento em Paris e tentar conhecer aquela mulher com quem parecia compartilhar tantas coisas e que, além disso, havia me chamado secretamente."


A narrativa de Francesc Miralles me conquistou desde o início. Com um texto fluido e repleto de reflexões, observações e pensamentos de Daniel, que nos fazem entender a busca real de si mesmo que o personagem encara. Sua infância solitária, a falta de sorte com as garotas, o foco no trabalho... Uma série de características que fazem dele um homem ingênuo, indeciso, até mesmo imaturo, porém adorável e irritante ao mesmo tempo! Além disso, a trama misteriosa que envolve Eva Winter, seus amigos e sua vida boêmia em Paris é extremamente convidativa. Eva é uma personagem contraditória e inusitada. E é muito interessante ver o contraste de um cara “certinho” como Daniel inserido nesse cenário.

"No entanto, logo entenderia que a linha reta não é a distância mais curta entre dois pontos. Há destinos na vida que exigem longos rodeios, uma habilidade especial para evoluir em círculos até encontrar a entrada para um mundo que está dentro deste, mas até então você não conhecia." 
Outra coisa que amei no livro foi reviver Paris através de Daniel, imaginem o meu queixo batendo no chão quando li que o hotel onde ele ficou hospedado foi o mesmo que fiquei quando estive lá. As descrições do hotel, das ruas, dos cafés e todos os lugares onde o personagem passa são tão vívidas, um olhar tão real, que nos envolve e nos faz segui-lo em sua busca implacável. As referências musicais são incríveis e o melhor de tudo: inserir trechos de O Jardim Secreto, obra literária infantil da escritora inglesa Frances Hodgson Burnett, ajudou a aumentar ainda mais o suspense.
Queria Que Você estivesse aqui é, acima de tudo, um livro sensível, que nos mostra a beleza da amizade e das trilhas que nos levam ao autoconhecimento e ao amor.  
Minha recomendação: leia despretensiosamente e saboreando cada página. E mesmo que você descubra o mistério antes da hora assim como eu, não importa. A qualidade da leitura é tão compensadora que acabamos desejando que aqueles capítulos curtos simplesmente não acabem. 

4 comentários:

Mary disse...

Amei a capa e após a leitura da resenha, preciso lê-lo, pois interessei-me principalmente pela narrativa uma vez que possui reflexões e observações do protagonista (adoro). Por fim, a descoberta do mistério, em Paris.

Lilian Sinfronio disse...

Eu adorei o livro que li desse autor, O Amor Em Minuscula (eu acho que é assim =] tem bastante tempo)
Mas essa tem uma temática bem diferente da sua última obra, e gostei do que parece ter sido o resultado.
Nunca tive a experiencia de ler um livro que fale de um lugar em que já passei, mas deve ser mesmo muito emocionante (ainda mais se tratando de Paris ^^ Que lindo)
É tão bom quando temos prazer em chegar ao fim de um livro, mesmo sabendo onde vai dar, não é?!?

Amei a resenha, muito bom encontrar livros diferentes do que costumamos ver pelo blogosfera literária.

bjokas

Fernanda Souza disse...

Nunca tinha ouvido falar nesse livro.
Adorei a sinopse, a capa e a sua resenha. Nunca li uma estória desse tipo do ponto de vista de um homem, sempre leio com mulheres sofrendo a crise dos 30.
Vou atrás dele em breve.

Beijos
Leitora Incomum

Hosana Rodrigues disse...

Li neste fim de semana na casa da minha filha,..Livro excelente simples de leitura rápida que nos prende com seus mistérios...vale a pena ler!

Postar um comentário